CAMPANHA SOS CAGARRO - 2011

A Secretaria Regional do Ambiente e do Mar desenvolve anualmente a Campanha SOS Cagarro visando essencialmente alertar a população açoriana para a necessidade de preservação
desta espécie protegida que nidifica nos Açores.

A Campanha decorre nos Açores desde 1995, e tem como principal objectivo envolver as pessoas e entidades no salvamento dos cagarros juvenis encontrados junto às estradas e na sua proximidade. Alguns dos cagarros juvenis salvos nos Açores há mais de 7 anos já regressaram ao nosso arquipélago para acasalar e ter as suas crias.A Campanha SOS Cagarro decorre entre 1 de Outubro e 15 de Novembro, período que coincide com a saída dos cagarros juvenis dos ninhos para o primeiro voo transoceânico, e está organizada em 2 vertentes: a de Educação Ambiental e a de Conservação da Natureza.

Visando a sensibilização para os cuidados mais adequados a ter em situações de encadeamento e atropelamento nas estradas de cagarros jovens, esta Secretaria desenvolve várias actividades de sensibilização e educação ambiental junto das escolas desta Região, acções estas a cargo da Rede Regional das Ecotecas. Para além disso, são produzidos materiais promocionais e educativos para distribuição pelos envolvidos na Campanha (voluntários, etc.).

Por outro lado, os Serviços de Ambiente de Ilha juntamente com as Ecotecas promovem sessões de esclarecimento e organizam, em conjunto com entidades parceiras e colaboradores, brigadas de salvamento para recolha no terreno de cagarros juvenis para libertação na manhã seguinte.

http:// soscagarro.azores.gov.pt


Este ano a AAM junta-se a esta iniciativa organizando também brigadas noturnas no lugar da Maia.

Se encontrar um cagarro, faça o seguinte:

1. Aproxime‐se lentamente do cagarro, usando luvas;

2. Com calma e segurança cubra o corpo do cagarro com um casaco, uma manta ou toalha. Com o cuidado de não o magoar, segure‐o de forma a envolver todo o seu corpo;


3. Coloque‐o numa caixa de cartão, mantendo‐o na caixa durante a noite, em local tranquilo e escuro. Avise ou entregue às entidades que o poderão libertar;
4. Na manhã seguinte liberte o cagarro junto ao mar, pousando‐o cuidadosamente no chão. Não se preocupe se a ave levar algum tempo a reagir e a voar para o mar, pois assim que se sentir preparada, continuará a sua viagem.