IX FESTIVAL MAIA FOLK

10 e 11 de julho, são as datas definidas pela Associação “Os Amigos da Maia” para a IX edição do Festival de Música Tradicional Maia Folk.
Anualmente o Festival Maia Folk tem trazido à Maia e à Ilha de Santa Maria, a música que retrata as origens, a memória viva, as vivências, a identidade de um povo, bem como, os instrumentos e as sonoridades, transpondo-as para a contemporaneidade.
A IX Edição do Maia Folk integrará cinco concertos e dois Dj Folk distribuídos pelos dois dias de Festival. Na sexta-feira, dia 10 de julho, teremos a presença da “BIA”, nascida nos Açores, iniciou-se a cantar muito cedo, mas foi após ter ido viver para Lisboa, a capital portuguesa, que abraçou a sua vertente de escrita. Músico profissional desde os 14 anos, estudou guitarra, piano, voz e ainda outros instrumentos, o que lhe deu as ferramentas necessárias para compor as suas canções. Ainda no dia 10 sobem ao palco os “CURINGA”, que no âmbito de experienciar a música e o intérprete, CURINGA significa fingir, imaginar, fantasiar, experimentar, mudar de valor, representar qualquer outro, remexer e trabalhar de novo. É uma mistura energética de variadas expressões musicais Portuguesas e do Mundo, por meio de uma abordagem atrevida e sagaz, capaz de criar no momento o elo entre o passado e o futuro.Formados em Santa Maria da Feira no final de 2008, os CURINGA partiram da ideia de atuar em recriações históricas, inspirando-se em personagens Medievais tais como o Bobo, o Jogral, o Menestrel e o Trovador, e em melodias medievais provenientes da documentação existente. A noite do dia 10 encerra com um Dj Folk.
Para o dia 11 de Julho, a abrir a segunda noite de festival teremos a presença dos “RECANTO”, um duo que tem como paixão as Músicas Antigas de Raiz Tradicional. O seu repertório assenta na recolha e pesquisa de músicas para a prática das Danças Tradicionais Europeias, a Recriação Histórica dos Mercados Medievais e um mergulho no Folclore Português. A Música dos Recanto é uma festa e um convite a uma Viagem na Máquina do Tempo. Os segundos a subir ao palco na segunda e última noite de festival os “XÍCARA” nascem do gosto pela poesia e pela música tradicional portuguesa e pretende prestar, musicalmente, homenagem a poetas de todo o país, relembrando tradições e enaltecendo a língua camoniana. São fruto duma rebuscagem da etnografia musical portuguesa, este projeto encerra numa união entre melodias tradicionais e poesia. Revive a nossa riqueza literária fazendo-a acontecer fora do seu íntimo ao mesmo tempo que destaca a sua capacidade de inspirar outras formas de expressão artística. Produto deste casamento, uma pluralidade de formas e tons que se estendem numa perspetiva etnográfica, literária, musical e pedagógica pois tende ainda a chegar a um público mais jovem desvendando uma diferente feição da poesia declarando a dinâmica educativa e o carácter multifacetado da música. A terceira banda a subir ao palco e a fechar a noite no que toca aos concertos musicais, a única banda estrangeira os “THE FATTY FARMERS”, formados em 2009 em Toledo, Espanha, apostam num reportório diferente de tudo aquilo que já existia e apostam essencialmente numa mistura de rock, folk e música irlandesa procurando inspiração em bandas de influência irlandesa, resultando assim o seu trabalho em sonoridades Celtic Punk e Rock Folk. Caracterizam-se por ser uma banda animada e que promete contagiar o público com ritmo e diversão. O festival termina com o Dj Osga, com ritmos folk pela noite dentro.

Como atividades paralelas teremos como já vendo sendo habitual as oficinas de danças tradicionais. A Caneca Ecológica Maia Folk que tem como objetivo evitar a sujidade dos copos de plásticos deixados no chão será novamente uma realidade, poderá ser adquirida nos dois dias de festival ou então poderão trazer a sua caneca de edições anteriores.

A entrada no Festival continuará gratuita, apenas sendo pago o habitual serviço de transporte do parque de estacionamento na Calheta para a Maia e percurso inverso por apenas 2 Euro, sendo gratuito a menores de 12 anos.
Contamos, uma vez mais, com o apoio do Governo Regional dos Açores, através da Secretaria Regional do Turismo e Transportes e também da Direção Regional da Cultura, da Câmara Municipal de Vila do Porto, da Junta de Freguesia de Santo Espirito, do Clube Asas do Atlântico e da Sata.
Estão disponíveis mais informações sobre o IX Festival Maia Folk no website da Associação “Os Amigos da Maia”, no endereço www.osamigosdamaia.com ou então através da sua página do Facebook.